Notícias

Mais RN: desenvolvimento e competitividade para o Rio Grande do Norte

Compartilhe
Oferecer um ambiente de negócios atraente no Rio Grande do Norte, com infraestrutura adequada para instalação de indústrias e multiplicação de negócios, política fiscal competitiva, instituições de qualidade e uma economia diversificada e sustentável. Esse é o obetivo central do projeto MAIS RN, que teve sua última etapa entregue no dia 03 de junho. Na ocasião, o presidente da Macroplan, Claudio Porto, apresentou como se deu a construção do trabalho.

O projeto teve início em 2013, quando a Federação das Indústrias (FIERN), o Governo Estadual e as principais lideranças e atores políticos, empresariais e da sociedade potiguar firmaram um pacto no qual se comprometeram com a Visão de Futuro 2035 proposta para o Rio Grande do Norte. Essa foi a base da elaboração da Estratégia de Desenvolvimento de Longo Prazo, que se deu em quatro grandes eixos: Empreendedorismo Potiguar e Investimentos, Ampliação e Qualificação da Infraestrutura, Estado Eficiente e Instituições de Qualidade, e Salto Educacional e do Capital Humano. Cada eixo se subdividiu em subsetores prioritários com objetivos e metas de curto, médio e longo prazos.

De 2013 até julho de 2014, a Macroplan elaborou um raio-x sobre o perfil socioeconômico do Rio Grande do Norte e identificou 403 oportunidades de negócio para o estado. A partir desse diagnóstico, foi construído o Plano Estratégico de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte com foco em Oportunidades de Investimentos e Negócios no horizonte 2014-2035. A iniciativa partiu da Federação das Indústrias do estado (FIERN), com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado, que buscou a parceria da Macroplan para elaborar o Plano e orientar o bom aproveitamento sustentável das potencialidades existentes no estado do Rio Grande do Norte.

Entre os fatores potenciais para desenvolver o Rio Grande do Norte o projeto MAIS RN identificou a localização geográfica, energia renovável, reservas minerais e centros de excelência. Como gargalos o estudo aponta a carência de infraestrutura e logística e insuficiência de qualificação. “A estratégia é alavancar os ativos e neutralizar os passivos”, afirma Claudio Porto.

O projeto MAIS RN prevê diferentes ações que deverão ser implementadas ao longo dos próximos 20 anos, buscando o desenvolvimento industrial do Rio Grande do Norte e o aumento da competitividade do Estado. Entre elas: diretrizes para a elaboração da Política Industrial do Estado, implantação de uma Entidade para Atração de Investimentos, a Investe RN, Planos de Ação para dez Subsetores Produtivos, Planos de Negócio para duas oportunidades prioritárias e uma Carteira de Projetos Públicos Estruturantes de interesse do setor privado. O conjunto de oportunidades e projetos propostos aponta a necessidade de investimentos na ordem de R$ 171 biilhões até 2035.

“O desenvolvimento chega após acúmulo de investimentos”, afirmou o Diretor da Macroplan Alexandre Mattos em entrevista ao jornal Tribuna do Norte. Leia aqui a entrevista completa.

Adicionar comentárioO seu e-mail não será publicado