Cenários

Não é possível eliminar a incerteza. O máximo que podemos fazer é reduzi-la a um número administrável de hipóteses por meio de cenários. Diante disso, a questão relevante é: o que faremos se tal cenário acontecer?"
Arie de Geus

O QUE OS CENÁRIOS AGREGAM AOS GOVERNOS

Cenários permitem que os governos mapeiem e antecipem as possíveis mudanças e rupturas nos ambientes cultural, social, demográfico, econômico e político que afetam as demandas sociais e sua capacidade de investimento e adéquem suas estratégias à geração de resultados mais eficientes e eficazes para a sociedade. A experiência da Macroplan na elaboração e uso de cenários em ambientes de governo demonstra que essa ferramenta proporciona: (i) identificar incertezas e antecipar oportunidades que ampliam ou constringem sua capacidade de ação; (ii) reduzir o risco dos governos serem surpreendidos por eventos adversos; (ii) minimizar as diferenças de percepção do ambiente externo entre os decisores e com isso melhorar a qualidade e coesão das opções estratégicas; e (iv) desenvolver o pensamento estratégico e antecipatório.

INCERTEZAS E EXPLORAÇÃO DO FUTURO

As mudanças no ambiente externo das organizações são cada vez mais relevantes na geração (ou destruição) do valor potencial dos negócios. A crescente complexidade e incerteza demandam das organizações, e seus gestores, maior capacidade de identificar e lidar com as mudanças. A elaboração de cenários surge em resposta a estas demandas. Cenários são ferramentas para explorar o futuro e antecipar estratégias em um mundo de grandes incertezas.

A METODOLOGIA

Os estudos de Cenários da Macroplan preparam seus clientes para fazer face aos desafios do futuro, são relevantes no planejamento e gerência estratégica, na antecipação de crises, no apoio a processos decisórios, na análise de projetos, no gerenciamento de mudanças e como referência para negociações. A metodologia Macroplan de construção de cenários e prospecção de futuros compreende basicamente seis etapas:
  • Mapeamento dos fatores invariantes e dos condicionantes do futuro pertinentes ao seu objeto de interesse;
  • Análise e Seleção: identificação e hierarquização das incertezas críticas em relação ao futuro do ambiente cenarizado;
  • Prospecção: geração e desenvolvimento de cenários alternativos do futuro, enfatizando as dimensões ligadas às incertezas críticas;
  • Interpretação: comparação e análise dos cenários com ênfase na antecipação de oportunidades e ameaças para a organização;
  • Decisão: posicionamento estratégico da organização face aos cenários; e
  • Disseminação: em uma perspectiva de aprendizagem organizacional.
 Clique aqui para visualizar a apresentação sobre cenários